Programa DESEMPENHO MÁXIMO

No Programa +Carne Confinamento, buscamos a viabilidade do sistema, pois a atividade de confinamento de bovinos de corte em nosso País vem passando a cada dia por constantes aprimoramentos, tanto na gestão técnica quanto na econômica. E assim, como as demais atividades econômicas, está constantemente em busca de novas soluções ou oportunidade para aumentar sua rentabilidade. Em um passado não muito distante, a simples valorização no preço das arrobas do boi gordo entre a safra e entressafra, que chegava a ser de até 30%, já justificava o sistema de confinamento. No entanto, o cenário da valorização das arrobas ao longo do ano e os preços das commodities mudaram, e a modalidade de confinamento se tornou uma atividade de risco, em que apenas a valorização das arrobas estocadas não traz mais a garantia de sucesso ao empreendimento.

No entanto, a necessidade do controle de gestão de dados, capacitação profissional, manutenções preventivas em equipamentos e instalações, e é claro, sem esquecer do tão importante manejo nutricional com os animais, passaram a ser rotina constante nas operações de confinamento, afim de se obter a precocidade produtiva na produção destes animais.

Neste contexto, os resultados econômicos passaram a estar diretamente ligados ao plano nutricional, que por sua vez representa 70 a 80% dos custos de produção, quando não consideramos o boi magro. E para isso, a utilização de NÚCLEOS MINERAIS específicos para animais confinados é extremamente importante, uma vez que estes animais em sua grande maioria são provenientes do sistema de produção a pasto, e muitos ainda de sistemas extensivos, os quais podem não estar habituados com a ingestão de grãos e/ou farelos junto a suas dietas, precisando estes serem adaptados à uma nova dieta.

Devemos lembrar que no início do confinamento os animais passarão por um período de adaptação, que irá prepará-los para as alterações em seu metabolismo, ocasionada pela nova dieta, além de reduzir o estresse causado pelo novo modelo de criação. Para isso, um núcleo mineral com maiores níveis de macro e microminerais, além de alguns aditivos, são de suma importância para uma boa adaptação metabólica, afim de reduzir distúrbios digestivos, o estresse e a recusa de cocho por parte dos animais confinados.

Durante todo o período de confinamento é necessário que se tenha garantido o atendimento do requerimento nutricional do animal, sendo que, além do aporte proteico e energético, é preciso lembrar dos requerimentos de minerais, fazendo-se uso de Núcleos Minerais apropriados para a terminação, que forneçam todo o aporte mineral que os animais necessitam, uma vez que estes estão intimamente ligados a síntese de carboidratos, proteína, mobilização da gordura corpórea e manutenção do sistema imunológico do animal.

Sendo assim, o Programa +Carne Confinamento, visa realizar o abate de animais com até dois anos de idade, ou seja, com até dois dentes incisivos permanentes, de modo que se tenha um animal gordo e com uma carcaça muito bem acabada e prontos para o abate, mesmo em uma fase crítica de oferta de alimento, buscando a maximização dos lucros e a redução no tempo de retorno do capital. Nesta fase, a presença de um técnico nutricionista para a formulação e acompanhamento da dieta, assim como todo o manejo são determinantes para se alcançar o máximo de desempenho dos animais neste sistema.

Topo